Blog

23 de março de 2021 0 Categories Sem categoria

Por que você deve se preocupar com cyber security?

Cyber security se tornou um dos assuntos mais comentados dos últimos tempos, mas por que devemos nos preocupar com isso? Saiba mais

O cyber security, também chamado de segurança digital, visa garantir a proteção de dados e impedir que haja vazamentos de informações dentro da organização. Saiba por que é essencial que o seu negócio invista neste tipo de proteção. 

O que é cyber security?

Atualmente, qualquer negócio precisa lidar com uma grande quantidade de informações, seja de clientes, fornecedores e até mesmo funcionários. E esses dados fazem parte da propriedade intelectual e econômica da empresa. E justamente por saber dos valores dessas informações, os criminosos visam vazar e sequestrar estes dados. 

Por que você deve investir em cyber security?

Nos últimos anos, os ataques maliciosos têm crescido cada vez mais. Para se ter uma ideia, de acordo com Risk Based, apenas no primeiro semestre de 2020, 36 bilhões de dados foram expostos. 

E as pequenas e médias empresas são as mais atacadas. Segundo o Instituto Ponemon, 63% desses tipos de negócios sofreram algum incidente com vazamento de informações em 2019.

E o principal meio de ataque desses criminosos costuma ser por e-mails, que é a principal ferramenta de trabalho de muitos negócios. Uma pesquisa da Proofpoint identificou que 88% das organizações em todo o mundo experimentaram tentativas de ataque phishing em 2019.

E se engana quem pensa que o Brasil não sofre com esse tipo de ataque. De acordo com um estudo do Instituto Ponemon, o país é o mais propenso a sofrer com violações de segurança digital.

Saiba mais: megavazamento de dados: o que sabemos e dicas para proteger suas informações

Principais ataques digitais

Você já sabe o porquê deve investir em cyber security. Mas, para entender melhor os riscos que o seu negócio sofre quando não há essa rede de proteção, separamos os principais tipos de ataques digitais. 

1. Vírus

Provavelmente a primeira ameaça digital que nos vem à cabeça seja o vírus. Esse tipo de ataque normalmente altera alguma configuração do computador com o objetivo de corromper, vazar ou destruir dados, além de danificar softwares importantes para o dispositivo. 

2. Ransomware

Parecido com o vírus, o ransomware tem um objetivo diferente. Ao ter o computador infectado com essa ameaça, ele impede o funcionamento do sistema criptografando senhas e arquivos importantes. Para devolver o controle ao dono, os criminosos costumam exigir um valor para fazer o sistema voltar a funcionar. 

Normalmente este ataque acontece por meio de links maliciosos compartilhados em e-mails, sites e até mesmo, em mensagens instantâneas.

3. Spyware

O spyware é um programa espião, que se instala no computador do usuário sem que ele perceba. Enquanto está ativo, ele coleta dados sobre as atividades naquele dispositivo, como o histórico de navegação.

Após fazer a coleta dessas informações, o spyware as transfere para um fonte externa, sem que o usuário saiba que está sendo monitorado.

4. Phishing

Já falamos bastante sobre phishing por aqui, inclusive temos um post dedicado só para ele, se quiser saber mais. Isso porque essa é uma das ameaças mais comuns e mais fáceis de se cair.

O termo phishing tem origem na palavra em inglês “fishing”, que significa “pescando”. Isso porque nesse tipo de ameaça, os criminosos pescam os dados das vítimas que, como os peixes, mordem o anzol.

Normalmente, este anzol é um link malicioso enviado por e-mail, que direciona o usuário para um site ou formulário que, à primeira vista, parece verdadeiro. Lá, eles pedem que o usuário informe os seus dados pessoais para ter acesso a algo. 

Outro phishing comum está relacionado às operações bancárias. Nestes casos, o usuário recebe uma “mensagem de seu banco” pedindo para que ele atualize suas informações. Ao acessar o link e preencher os dados, o usuário está compartilhando as suas informações bancárias com os criminosos. 

E por que tantos usuários caem nesse tipo de ataque? Segundo um estudo da McAfee Labs, 97% das pessoas não conseguem identificar e-mail phishing. Isso porque essas mensagens são feitas com todo o cuidado para se parecer ao máximo com um conteúdo verdadeiro.

5. Malware

O nome malware vem da junção das palavras “malicious” (em português, malicioso) e “software”, ou seja, um programa malicioso. O malware costuma entrar no computador com o objetivo de danificar o sistema ou roubar dados, independente se são confidenciais ou não.

6. Engenharia Social

Este tipo de risco está muito atrelado às empresas. Nessa ameaça, os criminosos se passam por funcionários ou alguém ligado à organização para enganar o colaborador e ter acesso a dados confidenciais.

Por exemplo, um colaborador recebe um e-mail de alguém da diretoria pedindo ajuda em uma determinada questão e pedindo informações e, em alguns casos, até transferências bancárias.

Como vimos ao longo do texto, apesar da tecnologia ser extremamente vantajosa para o nosso dia a dia, ela também é responsável por deixar os nossos negócios mais frágeis em questão de segurança. 

Além do risco de sofrer com as penalizações da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), a exposição de dados confidenciais traz prejuízos financeiros, de imagem e credibilidade perante ao mercado e aos clientes.

Felizmente, você pode proteger a sua empresa dessas consequências ao investir em ferramentas de cyber security. Na Webplus, você pode contar com dois pacotes de proteção para o seu negócio: o E-mail Security e o Total Security.

No E-mail Security, oferecemos a solução de e-mail corporativo mais completa e segura do mercado, além do melhor custo-benefício. Com o Total Security, além de ter as vantagens do primeiro pacote, você também conta com um serviço completo de segurança digital com proteção para o seu e-mail e computador. 

Para conferir mais dicas de cyber security, não deixe de acompanhar as atualizações do nosso blog.